Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

De re.ver

Não tenho esperança 
de um dia conhecer a paz na terra,
mas aí 
olho.s nos teus olhos
e já não tenho mais certezas...


Despida em despedida.

Imagem
E há de haver mesmo em toda despedida um despir-se. 
E não que alguém tenha morrido, mas algo sim. Esse algo,  morreu e se revelou.
É como se tantas coisas viv(id)as agora estivessem prestes a desviver, ou já mortas.
Será que um dia elas viveram de verdade? Acho que aqui do lado de dentro sim.
Engraçado que tanta coisa se modifica ao ser externalizada. 
Vive de um jeito do lado de dentro, vive de um outro do lado de fora.
É que toda passagem já é mudança. Passou, por dentro ou fora, mudou.
E de repente é assim também, tempo de mudar. 
Pra arejar, pra renovar, pra passar, sem voltar. 
Fazer nascer o novo.
O tempo novo de novo, 
nu e cru. 


E no tribunal da vida:

- Juro falar a verdade, 
somente a MINHA verdade!




De pena à pedra.

Imagem
a gente era leve, s
                                  u
                                     a
                                   v
                                 e
                        diver ão.

aí veio o 
e (u)

o
veio a 
m e n t i r a.

e a gente pesou
                ressecou
                  rachou
                                                   quebramos.
                                                   viramos pó.

possibilidades
de antes, dois a dois,
brincando de aquecer em sóis
...
agora, sem brincadeira,
sós à sós
des.enrolados em tantos nós.



De(s)amores.

amores
l
í
q
u i
d

s
e v a p ó r a m


                                     amores

   SÓ.LIDOS

                                     pesam


                                                                      Bom,
                                                                      mesmo,
                                                                         é
                                                                           amor
                                                                                 cre
                                                                                     mo
                                                                                         so,
     quandodáliga.