Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

De sínteses noturnas.

Quando a dúvida é uma constante, é porque de alguma forma a certeza já existe.

Teimosia é não querer enxergá-la,  fingir que ainda não a viu. 


Viu? 



Des-gosto.

Um gosto amargo na boca.  Era a pasta de dente que tinha perdido a validade. Assim como muita coisa na vida.

[baseado em fatos reais]


De sentir #2

Imagem
Das minhas dores, quem sente só eu... "Quem me diz
Da estrada que não cabe onde termina
Da luz que cega quando te ilumina
Da pergunta que emudece o coração

Quantas são
As dores e alegrias de uma vida
Jogadas na explosão de tantas vidas
Vezes tudo que não cabe no querer

Vai saber
Se olhando bem no rosto do impossível
O véu, o vento e o alvo invisível
Se desvenda o que nos une ainda assim

A gente é feito pra acabar

A gente é feito pra dizer
Que sim
A gente é feito pra caber
No mar
E isso nunca vai ter fim"
[Jeneci, José Miguel Wisnik e Paulo Neves | Feito pra Acabar]

Para Caio Fernando Abreu

Imagem
Sente só!
Sente, só.
Só sente.
Sente e só.
Sente, e só.

Meus velhinhos.

Imagem
Eu virei mãe. Não me contaram, eu descobri. Na verdade eu senti.  Um amigo meu disse que esses são tempos de cuidarmos daqueles que um dia nos cuidaram. Não acho que seja por obrigação. É amor, é natural. Amor não é pagamento retardatário. Com o tempo chega. É de maturar também. 
Agora eu entendo perfeitamente o que tanto ouvia quando pequena, do tal 'entendimento que vem com a idade'. Os anos nos ensinam. E eu estou descobrindo o que é amar de verdade, o que é cuidar sem pedir. E não é fácil, nem claro. Primeiro tive que admitir o meu egocentrismo, pra perceber que eu não estava perdendo, não estou perdendo, são outras formas de ganhar, e essas , não tem medida no mundo que consiga 'cabê-las'. São sentimentos que virão num futuro, que já fazem diferença num presente.
Agora sou eu que digo que quero vê-los crescer, quero vê-los fortes e saudáveis. A pior coisa no mundo é ver sofrer quem se ama. Porque a idade chega e nos traz muitas coisas boas, mas também muitas coisas…

Eu te amo

Imagem
como é difícil dizer eu te amo de verdade,  pra quem se ama. 


[♫] morrer de amor não é difícil, se atirar do edifício viver de amor é que é difícil, se atirar [♫]

De amadurecer.

Um dia até a banana se revolta e vira vitamina                                         explodindono liquidific-a-dor.

Porque viver é muito.

Imagem
A diferença era que era um dia comum, como qualquer outro. Acho que não tem dia específico pra receber notícia assim. A ficha não caiu de primeira, também não sei quando vai cair. Não, não quero que caia. Pra quê viver de futuro, se existe o presente. O que acontece é que existe uma realidade relativa e inconstante. E o pior de tudo, condicionada. Nunca pensei viver assim. Mas ninguém pensa, simplesmente acontece. Porque é preciso? Porque tem que ter algum tipo de aprendizado? Com certeza. As situações de impacto, são auto-explicativas. São de impacto, é pra mudar, é pra movimentar, é pra abalar qualquer estrutura pré-estabelecida. Às vezes estruturas que a gente pensa que nunca vão mudar. Mas muda sim, tudo muda. É foda. Sim, é foda, é pesado, é difícil, mas antes de tudo é. E por ser, é preciso continuar em frente. Mesmo às vezes fechando-se num casulo de tarefas, cuidados e dedicação. Apesar de nada parecer suficiente, é como abdicar de viver, mas continuar vivendo, sem ter, apenas…