A distância


Distância
Diztanto
De instantes, horas, dias, meses

Me pergunto cadê?
Nem o cuidar
         o cuidado
                       ficou? 

Será que só foi, e mais nada?

Raso, será que era só o raso?
Ou foi, e agora é orgulho? Medo?

Quem vai dar o primeiro passo?
Quem vai se dar o direito ao mergulho?

Ou quem sabe, o tempo passou
E quem ficou fui eu, à deriva.

No intervalo da rotina é inevitável não sentir saldades salgadas. 


Como re-construir uma ponte no meio do mar?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

o desejo, as palavras e a verdade

( Carta para uma Vênus em Câncer )

aquilo que não fixa, escorre.